Pub
Pub
artigo
imprimir

5 alimentos ricos em proteínas

Uma fonte de proteína às refeições é indispensável na alimentação de qualquer diabético. Por isso, aqui ficam 5 alimentos ricos em proteínas que deve privilegiar.

Porquê conhecermos que alimentos são ricos em proteínas? Apesar de não existirem grandes diferenças nas necessidades proteicas de diabéticos e não diabéticos, para prevenir situações de hipoglicemia é recomendado que as pessoas que sofrem de diabetes ingiram, pelo menos, uma fonte de proteínas às refeições principais.

Diabéticos e alimentos ricos em proteínas

Os diabéticos têm de ter cuidados acrescidos para controlar a glicemia, manter um peso saudável e prevenir o aparecimento das complicações associadas à diabetes.

 

Existem, no entanto, aspetos em que não existem grandes diferenças em relação aos não diabéticos no que toca à alimentação. As necessidades proteicas, por exemplo, são semelhantes.

Que proteínas devem os diabéticos ingerir?

Para prevenir situações de hipoglicemia que possam surgir é recomendado que ingiram, pelo menos, uma fonte de proteínas às 3 refeições principais.

 

Um estudo científico realizado por uma equipa de investigadores do Instituto Alemão de Nutrição Humana Potsdam-Rehbrücke descobriu que uma dieta rica em proteínas é benéfica para quem sofre de diabetes tipo 2.

 

Independentemente de ingerirem proteína de origem animal ou vegetal diariamente, os cientistas germânicos apuraram que os que consumiam, pelo menos, 30% de proteínas tinham menores níveis de ácido úrico e de colesterol LDL – o colesterol que é prejudicial ao organismo.

artigo

204.

5 alimentos ricos em vitamina C

Por isso, aqui ficam 5 alimentos ricos em proteínas que deve privilegiar.

 

1. Queijo

 

Ideal para o pequeno-almoço ou para o lanche, é fonte de vitamina D e de cálcio. O queijo emental fornece 22,8 g de proteínas por 100 g de alimento, enquanto que o de cabra chega às 30 g. O queijo fresco, com menos gordura, contém apenas 10 g.

 

2. Peixe

 

Cozido, grelhado, braseado ou assado com pouca gordura, é uma opção saudável para uma refeição principal. Só para ilustrar, o atum fresco, fonte de ómega-3, ferro e fósforo, integra 23,7 g de proteínas por cada dose de 100 g. O salmão e o tamboril, outros peixes muito apreciados pelos portugueses, fornecem 22,7 g.

 

3. Carne

 

Perfeita para assar e servir com legumes cozidos ou salteados, a carne de peru, rica em ferro, zinco e selénio, é uma das carnes brancas mais magras e mais saudáveis. Uma dose de 100 g garante um aporte de 29,4 g de proteínas. Nesse sentido, a mesma quantidade de lombo de porco sem gordura, outra opção, contém 25,6 g . O peito de pato sem pele chega às 26,7 g.

 

4. Leguminosas

 

São uma alternativa , por exemplo, à ingestão de carne e de peixe cada vez mais valorizada nos dias que correm. Fonte de manganês e fósforo, o grão-de-bico fornece 10 g de proteína por cada 100 g de alimento, tal como também sucede com as lentilhas. A mesma quantidade de feijão-branco contém 8,5 g.

 

5. Frutos secos

 

Ideais para uma pausa a meio da manhã ou da tarde (ou até mesmo como sobremesa), saciam e são proteicos. As amêndoas, além de fornecerem magnésio, manganês e vitamina B12, contêm 25,4 g de proteína por 100 g de alimento. Os pistácios, com 24,9 g, não andam muito longe. Os amendoins vencem, no entanto, estas contenda com 27,3 g.

 

Por fim, já conhece a página Cardio 365º, dedicada aos assuntos do coração e da saúde vascular?

Referências
  • Instituto Alemão de Nutrição Humana Potsdam-Rehbrücke

  • US National Library of Medicine

  • National Institutes of Health

  • WebMD

artigo
imprimir
anterior seguinte