Pub
Pub
artigo
imprimir

Demência e diabetes: quando a memória falha

Será que existe alguma correlação entre demência e diabetes? Ou são apenas patologias coincidentes com a idade avançada? Saiba tudo neste artigo.

Será que a correlação demência e diabetes é apenas temporal? Estudos preliminares dizem-nos que não há coincidências. E que existe um mecanismo que pode ser comum a ambas as doenças.

Afinal, qual a relação da demência e diabetes?

Existem alguns estudos que indicam que a diabetes pode estar envolvida em processos de demência. Estes, dividem-se maioritariamente em dois subgrupos:

 

  1. Doença de Alzheimer
  2. Demência de causas vasculares

 

Os mecanismos envolvidos poderão ser a vasculatura cerebral (conjunto de vasos sanguíneos do cérebro) comprometida. Os efeitos tóxicos da hiperglicemia prolongada. E a resistência à insulina no cérebro.

O tipo importa? 

Na diabetes tipo 1, existem associações a mudanças cognitivas como lentidão de pensamento e flexibilidade mental reduzida. No entanto, por esta doença não estar necessariamente associada a uma faixa etária de maior idade, não existe um nexo de causalidade. Este, aparece na diabetes tipo 2, com a comunidade científica a investigar mais essa relação.

 

Assim, dada a conexão entre a diabetes e a doença cerebrovascular, não é inconcebível uma ligação da demência e diabetes. Por exemplo, alguns estudos referem uma conexão da diabetes tipo 2 com um declínio cognitivo comparativamente mais rápido com idosos que não sofram da doença.

 

artigo

217.

A conexão entre diabetes e depressão

O que acontece quando há demência e diabetes? 

Algumas das capacidades cognitivas que se podem encontrar comprometidas na diabetes incluem: aprendizagem, memória, flexibilidade e rapidez mental.

 

Um dos fatores de risco para a diabetes e demência, apontado por estudos e investigadores, parece ser a hipertensão. Como sabemos, pessoas que sofrem de diabetes tipo 2 encontram-se num risco mais elevado de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Que, no seu espectro, incluem a hipertensão arterial.

 

Outro dos fatores de risco aparenta ser o controlo glicémico. Ou seja, o açúcar no sangue e a concentração do mesmo no cérebro, que pode impactar as funções cerebrais.

 

No entanto, estes estudos são ainda preliminares. Não existe de momento informação científica robusta sobre a correlação da demência e diabetes. Todavia, existe já evidência suficiente para afirmar que a diabetes está ligada a possíveis problemas cognitivos.

 

Ao ler este artigo, e se sofre de diabetes, pode estar a interrogar-se: que posso eu fazer para evitar a demência? Como todas as complicações adjacentes à diabetes, a melhor forma de as prevenir é através do controlo da doença. Seja vigilante dos seus níveis de glicose no sangue. Não suspenda a medicação ou a insulina sem uma diretriz do seu médico.

 

E já sabe, continue a acompanhar-nos aqui. Junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Referências
  • Ahtiluoto, S et al. (2010).

  • Biessels, GB et al. (2006).

artigo
imprimir
anterior seguinte