Pub
Pub
artigo
imprimir

Diabetes tipo 1: alimentação no dia a dia

Afinal, o que é que uma pessoa com diabetes tipo 1 pode comer? Está proibida de comer doces? Neste artigo desmistificamos algumas crenças e damos-lhe algumas orientações. Leia para saber mais sobre a melhor alimentação para as pessoas com diabetes tipo 1.

Seja qual for o tipo, a diabetes está diretamente relacionada com a alimentação. Afinal, consiste numa incapacidade do corpo de fazer com que o açúcar (glicose) dos alimentos entre nas células. Por este motivo, além da medicação que o médico prescreve, é essencial ter muita atenção ao que se come.

A diabetes tipo 1

Como possivelmente já sabe, na diabetes tipo 1, o corpo não produz insulina. Esta hormona funciona como uma «chave», que «abre a porta» das células e deixa entrar a glicose. Dentro das células, a glicose funciona como combustível: dá-lhes energia para que possam funcionar.

 

Glicose – o açúcar dos alimentos

 

A glicose é um açúcar obtido a partir dos hidratos de carbono. Ou seja, está presente: nas batatas, arroz, massa, pão, fruta… E claro, nos doces aos quais são adicionados açúcares.

 

Possivelmente cresceu a ouvir dizer que as pessoas com diabetes «não podem comer doces». Ora, esta afirmação é um mito. Tal como as outras pessoas sem qualquer doença, quem tem diabetes também deve evitar os doces. São alimentos muitas vezes desprovidos de valor nutricional. Contribuem para o aumento do peso e da obesidade. Mas não estão vedados a ninguém.

 

Afinal, como vimos acima, existem muitos alimentos saudáveis que contêm açúcares naturalmente presentes. É o caso da fruta! E não seria possível viver uma vida saudável sem comer fruta, tendo ou não diabetes.

artigo

398.

As melhores opções de frutas para diabéticos

Assim sendo, esqueça o que ouviu até hoje e acredite: quem tem diabetes pode comer de tudo.

Diabetes tipo 1: alimentação

Tal como toda a população mundial, as pessoas com diabetes tipo 1 devem privilegiar uma alimentação equilibrada. Esta inclui todos os grupos de alimentos:

 

  • Frutas, vegetais e leguminosas
  • Frutos secos e cereais integrais
  • Proteínas e gorduras insaturadas (encontradas em peixe e carne magros, frutos secos, azeite virgem extra, lacticínios…)

 

Devem ser evitados os alimentos ultraprocessados. Estes são alimentos que passam por inúmeros processos industrializados e aos quais são adicionados um sem fim de ingredientes até ficarem prontos. Por exemplo, comida pré-cozinhada, bolos e bolachas de pacote, gelados, gomas e chocolates industriais, fast-food… Mas a palavra chave é evitar. Nada é proibido! Deve apenas ser procurado um equilíbrio no consumo destes alimentos.

 

Em relação às bebidas, é de evitar tudo o que sejam refrigerantes e bebidas alcoólicas. Os sumos de fruta naturais podem ser consumidos com moderação. Por perderem a parte da fibra, aumentam os níveis de glicose demasiado rápido e podem causar um desequilíbrio. São ideais, por exemplo, em caso de hipoglicemia.

 

Água é sempre uma boa opção. Café e chá também, preferivelmente sem açúcar ou outros ingredientes como natas, leite condensado, mel…

 

Os regimes de insulina

 

Como as pessoas com diabetes tipo 1 não produzem insulina, esta tem de ser administrada. Hoje em dia, é possível ter um regime personalizado e adaptado aos hábitos de cada um.

 

Ao tomarem insulina, as pessoas com diabetes correm o risco de sofrer hipoglicemias. Para as prevenir, e porque fazem parte de um regime alimentar equilibrado, os hidratos de carbono podem e devem ser incluídos na sua alimentação. Deste modo, evitamos que a insulina faça com que os níveis de açúcar no sangue baixem demasiado e possam causar tonturas, desmaios e até situações de coma – quando são demasiado graves.

 

Os hidratos de carbono saudáveis incluem:

 

  • Frutas ao natural (evitar conservas, compotas e apresentações com açúcar adicionado)
  • Vegetais
  • Cereais integrais (pão «escuro», arroz e massa integral)
  • Sementes e frutos secos ao natural (evite as opções fritas e com sal ou açúcar adicionados)
  • Leguminosas (feijão, grão, ervilhas, favas…)
  • Leite e iogurtes sem açúcar

 

Não caia em rótulos «para diabéticos»

 

Dito acima e repetido: as pessoas com diabetes podem comer de tudo. Uma visita à zona dos «frescos» do supermercado, ou à frutaria do bairro basta para obter todos os snacks para os seus dias. Não precisa de comidas pré-feitas, «exclusivas», «aptas» e quase sempre muito mais caras. Este tipo de comidas pode até entrar no grupo dos ultraprocessados e, muitas vezes, contêm muitas calorias e gorduras.

 

Mais vale cozinhar um bolo ou bolachas caseiras, fazer gelados com fruta fresca ou ter sempre uma caixinha com frutos secos consigo. Às refeições principais, opte por comer sopa em vez de entradas. Comidas saborosas mas sem muitos molhos. E tente incluir vegetais, proteínas e hidratos de carbono na refeição.

 

Se eventualmente lhe apetecer alguma sobremesa ou doce, controle as porções e vigie a sua glicemia.

 

Contar hidratos de carbono

 

Os hidratos de carbono influenciam os níveis de açúcar no sangue. A insulina «elimina» os açúcares do sangue ao fazer com que entrem nas células. Assim sendo, contar os hidratos de carbono que se ingerem é fundamental para saber quanta insulina se deve administrar. O seu médico e equipa de saúde deverão ensiná-lo a fazer esta contagem e deste modo, será possível manter o equilíbrio e controlar a diabetes.

 

É preciso acostumar-se, mas esta ferramenta é óptima porque lhe dá flexibilidade. Permite-lhe obter um bom controlo dos níveis de glicose. Além disso, faz com que possa escolher quando e o que comer. Em ocasiões especiais, pode variar a sua alimentação, sempre que faça as contas para tomar uma dose correta de insulina.

 

Tem diabetes tipo 1? Coma de tudo, com equilíbrio.

 

Não existe uma dieta específica padrão para as pessoas com diabetes tipo 1. Como já dissemos, a sua dieta deverá ser a mesma de toda a população. Equilibrada, rica em alimentos frescos não processados. Mas é claro que uma pessoa com diabetes tem de ter uma atenção redobrada à sua alimentação. Se não o fizer, as consequências podem ser desastrosas.

 

Saber quais os alimentos que têm hidratos de carbono e aprender a contá-los é fundamental. Assim, poderá calcular a dose exata de insulina a tomar para manter níveis equilibrados de açúcar no sangue.

 

Adotar estas medidas vai prevenir ou atrasar o aparecimento das complicações da diabetes e outras doenças cardiovasculares. Mesmo que ao princípio pareça confuso, não entre em pânico. Peça ajuda a profissionais. O seu médico, enfermeiros podem ajudá-lo.

 

Consulte um nutricionista para o ajudar com a alimentação e um psicólogo para o ajudar a lidar com esta nova realidade. Não desista e vai ver que poderá levar uma vida o mais normal possível, sem deixar de desfrutar daquilo que mais gosta.

 

Por fim, junte-se à comunidade Diabetes 365º!

artigo
imprimir
anterior seguinte