Pub
Pub
artigo
imprimir

E depois da pandemia?

Como estará a nossa saúde após a pandemia? E agora, alguma coisa mudou? A diabetes em Portugal, estará igual? O artigo de hoje foca-se nessas questões, venha descobrir.

Desde março de 2020 que se vive um cenário inesperado. A pandemia pela COVID-19 tomou conta das nossas vidas, absorvendo o nosso dia-a-dia. A maioria dos casos recupera da doença sem problema, mas não podemos, no entanto, descurar os casos graves e mortes. Como tal, é claro que a COVID-19 merece toda a nossa atenção! Mas enquanto que por um lado é certo que o coronavírus apareceu, outra coisa é certa: as outras doenças não desapareceram.

A diabetes em 2020

Várias publicações alertam para um aumento da mortalidade em Portugal no ano de 2020. Mesmo em tempos de pandemia, a COVID-19 não explica esses números na totalidade, levando à conclusão que a mortalidade por outras causas aumentou. Pensa-se que o principal motivo é a diminuição da procura pelos cuidados de saúde, fruto do confinamento, isolamento social e medo de sair de casa. Para comprovar isto, recentemente apurou-se que existiram menos 9 milhões de contactos presenciais médicos e de enfermagem, no ano de 2020. Uma diminuição da procura pelos cuidados de saúde significa o descontrolo de doenças crónicas ou a falta de tratamento de situações agudas.

 

A diabetes é uma doença que afeta cerca de 1 milhão de portugueses entre os 20 e os 79 anos. É de esperar que a diminuição das consultas no ano de 2020 afetou, com certeza, o acompanhamento dos indivíduos com diabetes. O acompanhamento de uma pessoa com diabetes deve ser, no mínimo, de 6 em 6 meses. Além disso, deve incluir análises laboratoriais para avaliar o controlo glicémico, nomeadamente a hemoglobina glicada. O descuido destas orientações pode deixar escapar uma descompensação da doença que necessite, por exemplo, de ajuste do tratamento. Para além disso, o confinamento também significou mais tempo em casa, menos atividade física e mais tendência a descurar a dieta. Estes fatores contribuem para uma descompensação da diabetes pelo que é importante manter o contacto regular com o seu médico.

 

Tendo em conta que, no ano de 2019, cerca de 200 pessoas eram diagnosticadas todos os dias com diabetes, a redução das idas ao médico também atrasa o diagnóstico de novos casos.

E depois da pandemia?

Para já, a pandemia é um cenário atual e que nos preocupa. Mas, o que acontecerá depois? A vacina está à porta, trazendo consigo a esperança de uma luz ao fundo do túnel. Apesar disso, as perspetivas apontam para que apenas no verão a situação esteja mais controlada. Nessa altura, assume-se que a procura aos cuidados de saúde irá normalizar, bem como os hábitos que tínhamos antes de todo este cenário. Os novos casos de diabetes serão diagnosticados com a mesma frequência e atempadamente; o seguimento dos casos já existentes irá regularizar. Mas o estado da nossa saúde na altura irá depender de como nos portarmos até lá. Neste momento, para evitarmos uma descompensação da doença, devemos cuidar da nossa saúde:

 

Não tenha medo de ir ao médico

 

Os centros de saúde e hospitais estão preparados com circuitos separados entre as pessoas com sintomas COVID-19 e as pessoas que vão às suas consultas habituais. As máscaras são obrigatórias, a desinfeção é constante e os cuidados redobrados. Não tenha medo dos serviços de saúde: está seguro!

 

Peça sempre a sua medicação

 

Mesmo que tenha dificuldade em marcar consulta com o seu médico de família, faça questão de pedir a medicação de que precisa. Não se arrisque a ficar sem medicação.

 

Mantenha a atividade física

 

Apesar do confinamento recomendado, pode e deve manter a atividade física. Prefira sítios ao ar livre e com pouca gente para fazer caminhadas ou exercício físico.

 

Não se desleixe na dieta

 

O teletrabalho e muito tempo em casa a ver televisão podem aumentar a tentação de comer uns docinhos a mais. Assim sendo, concentre-se em cumprir uma alimentação saudável, de maneira a preservar a sua saúde e a controlar a sua glicemia.

quiz

26.

Que alimentos evitar na diabetes?

Cumpra as normas da Direção-Geral da Saúde (DGS)

 

O distanciamento social, uso de máscara e a higiene regular das mãos são regras essenciais para minimizar o risco de contágio da COVID-19. Em tempos de pandemia, nunca é demais relembrar estes fundamentos da saúde pública. Proteja-se a si e aos outros!

 

Junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Referências
  • Público

  • Diário de Notícias

artigo
imprimir
anterior seguinte