Pub
Pub
artigo
imprimir

É possível tratar a neuropatia diabética?

A neuropatia é uma complicação comum da diabetes, que afeta principalmente os pés. Mas será possível tratar a neuropatia diabética? Se sim, como? Hoje iremos explorar exatamente isso.

Tratar a neuropatia diabética pode ser um desafio. Mas é possível fazê-lo de forma eficaz.

O que é a neuropatia diabética?

A neuropatia diabética é importante porque é uma complicação comum da doença. Aliás, surge em cerca de 50% dos doentes diabéticos após 30 anos de doença. A neuropatia diabética é resultante de uma lesão nos nervos. Estes, estão encarregues de enviar a informação do meio exterior até ao nosso cérebro. A maioria das vezes manifesta-se como um tipo de dor especial chamado de dor neuropática. A dor neuropática é um tipo de dor que se apresenta como formigueiro, sensação de queimadura ou de picada.

 

O grande perigo da neuropatia diabética é, que, com estas alterações da sensibilidade, os pés ficam sujeitos a feridas. Portanto, estas, podem demorar mais tempo a curar.

Prevenir a neuropatia diabética

O pilar do tratamento da neuropatia diabética, também apelidada de neuropatia periférica, é a sua prevenção. Assim, otimizar o controlo da glicemia (quantidade de açúcar presente no sangue) é muito importante. Isto para retardar a progressão da doença.

 

Aliás, controlar os fatores de risco, como a hipertensão arterial e a obesidade, é a chave na prevenção desta complicação.

artigo

111.

É possível prevenir a neuropatia diabética?

Tratar a neuropatia diabética: é possível?

A neuropatia diabética não tem cura. Isto é, tratar a neuropatia diabética não fará com que ela desapareça. O que conseguimos fazer é controlar os sintomas por ela provocados. Assim, em doentes com o diagnóstico, o controlo desses sintomas é crucial.

 

Para isso, o seu médico irá avaliar todos os seus problemas de saúde. Medicação que já está a tomar. E possíveis interações, para que o controlo dos sintomas seja o mais eficaz possível.

 

Para o alívio da dor neuropática, a ADA (American Diabetes Association) aconselha medicamentos que diminuem a dor através de mecanismos no sistema nervoso. Apesar de pertencerem a outras classes de medicamentos, são também eficazes no tratamento da dor na neuropatia diabética. Entre estas classes incluem-se:

 

  • Antidepressivos
  • Antiepiléticos

 

Caso não sejam visíveis melhorias significativas, pode-se trocar o medicamento ou usar mais do que um simultaneamente. Se, mesmo assim, não existir alívio dos sintomas, pode ser considerado o uso de outra classe de medicamentos. Por exemplo, os Analgésicos Opioides.

Em resumo, previna!  

Concluindo, a principal forma de tratar a neuropatia diabética é a prevenção do seu aparecimento. Por isso, adote um estilo de vida saudável. Com caminhadas regulares e uma alimentação equilibrada. Assim, controlará os fatores de risco associados a esta complicação tardia da diabetes.

 

Não se esqueça. Seja observado no seu Centro de Saúde pelo seu Médico de Família com regularidade. A avaliação do pé de um doente diabético é fundamental para diagnosticar a tempo a neuropatia diabética. E prevenir o aparecimento de feridas nos pés. Todavia, quando existe o diagnóstico de neuropatia diabética, a sensibilidade diminui e, desta forma, as feridas podem alastrar.

 

A DGS (Direção-Geral da Saúde) sugere a avaliação regular do pé diabético:

 

  • No caso de ter diabetes tipo 1, a avaliação do pé deve começar a fazer-se 5 anos após a data do diagnóstico.
  • Se for diabético tipo 2, a avaliação do pé deve ser feita na data do diagnóstico.
  • A partir dessas datas, a ADA recomenda a avaliação do pé do doente com diabetes em todas as consultas com o seu médico de família!
Referências
  • DynaMed

  • American Diabetes Association (ADA)

  • Direção-Geral da Saúde (DGS)

artigo
imprimir
anterior seguinte