Pub
Pub
artigo
imprimir

Tomar antibióticos quando se tem diabetes

Os antibióticos são medicamentos usados no tratamento de infeções bacterianas. Será que existe alguma precaução especial ao seu uso na diabetes? Hoje vamos explorar este tema.

Os antibióticos são conhecidos de todos. Ajudam-nos a combater doenças e estão connosco há já muitos anos. Mas será que os doentes diabéticos podem tomá-los sem mais riscos do que aqueles que já lhes estão associados? 

O que são antibióticos?

Os antibióticos são uma classe de fármacos cujo mecanismo de ação é combater bactérias.

 

Ou seja, apenas está indicado o seu uso no tratamento de infeções bacterianas. O tratamento de infeções causadas por vírus, fungos ou parasitas não é feito com antibióticos.  Estes não possuem qualquer efeito na eliminação deste tipo de microrganismos. Aliás, deve  ser evitado o uso de antibióticos no tratamento de infeções que não sejam bacterianas. O seu uso injustificado pode promover a resistência aos antibióticos, tornando-os menos eficazes ao longo do tempo.

 

Existem várias classes de antibióticos para vários tipos de bactérias diferentes. Normalmente, é possível saber qual o tipo de bactéria mais provável de estar a causar infeção, consoante o local da mesma. Por este motivo, quando se tem uma infeção e existe uma elevada suspeita de ser bacteriana, começa-se a tratar com o antibiótico mais adequado.

 

Existem situações, no entanto, que justificam pedir análise antes de iniciar antibiótico. Por exemplo, infeções que já foram tratadas uma vez e não mostraram melhorias. Ou infeções recorrentes.

Quando fazer antibióticos?

Como referido anteriormente, os antibióticos devem ser feitos quando estamos perante uma infeção bacteriana.

 

O seu uso indevido pode causar um aumento de resistência aos antibióticos, o que é um grave problema de saúde pública. Hoje em dia, existem bactérias que eram sensíveis a vários tipos de antibióticos, mas que, pelo seu uso recorrente na comunidade, desenvolveram mecanismos de resistência.

 

O tratamento de infeções causadas por bactérias multirresistentes torna-se mais complicado. Estas não respondem ao antibiótico de primeira linha (isto é, aquele que está indicado consoante o local da infeção). Como tal, pode ser necessário um antibiótico mais «forte», de uso exclusivo hospitalar, por exemplo.

artigo

254.

Como funciona o sistema imunitário?

Antibióticos na diabetes: sim ou não?

Caso haja uma infeção causada por uma bactéria, a resposta é: sim, claro!

 

A diabetes é uma condição que está relacionada com o aparecimento de infeções. Tal é assim porque estados de hiperglicemia (açúcar elevado no sangue) ajudam à proliferação de microrganismos patogénicos (isto é, que causam doença). E as pessoas diabéticas possuem uma resposta mais lenta à infeção.

 

Na diabetes descompensada, pode haver um excesso de açúcar expelido na urina, que se chama de glicosúria. A glicosúria, por sua vez, é um fator de risco para o aparecimento de infeções urinárias.

 

Para além disso, existem certos medicamentos que, por promoverem a eliminação do açúcar pela urina, podem causar infeções urinárias. Se porventura tiver sintomas de: ardor a urinar, peso na bexiga, urina com cheiro anormal ou sangue na urina, dirija-se ao seu médico. Estas infeções são frequentes na diabetes e devem tratar-se. 

Precauções e prevenção

Na diabetes, as precauções relativas ao uso de antibióticos são as mesmas que para a população em geral:

 

  • Tomar apenas quando necessário.
  • Não tomar antibióticos nas infeções causadas por vírus, fungos ou parasitas.

 

A prescrição de um antibiótico deve ser feita única e exclusivamente após avaliação médica.

 

Se é diabético, a maneira mais eficaz para prevenir uma infeção é manter um bom controlo glicémico. Seja a cumprir a medicação prescrita, a manter uma dieta equilibrada e a praticar atividade física com frequência.

 

E já sabe: para estas e outras informações junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Referências
  • Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA)

artigo
imprimir
anterior seguinte