Pub
Pub
artigo
imprimir

Tratamentos para baixar o colesterol

Ter o colesterol alto pode significar um risco aumentado de vir a ter doenças cardiovasculares. Uma dieta equilibrada é essencial, mas, por vezes, é necessária uma ajuda extra com medicação. Hoje vamos falar sobre os tratamentos que existem para baixar o colesterol.

Para compreendermos como funcionam certos tratamentos para baixar o colesterol, vamos explicar sucintamente como ocorre o metabolismo deste lípido no nosso organismo. Em primeiro lugar, o colesterol é uma gordura fundamental. Isto porque tem funções essenciais como, por exemplo, incorporar a membrana celular das células ou participar na síntese de hormonas, vitamina D e sais biliares no fígado. O colesterol pode ser produzido no nosso organismo ou vir da nossa dieta.

 

Quando proveniente da dieta, tem como principais fontes os alimentos de origem animal. Além disso, convém saber que é absorvido no intestino, com a ajuda dos ácidos biliares. Por outro lado, a síntese de colesterol no organismo ocorre ao nível celular, principalmente nas células do fígado e dos intestinos. No sangue, o colesterol é  transportado em lipoproteínas, que podem ser de baixa densidade, também conhecidas como LDL (low density lipoproteins), e de alta densidade, ou HDL (high density lipoproteins). E, apesar da sua importância, o excesso de colesterol está associado a um risco aumentado de vir a desenvolver doença cardiovascular, principalmente do colesterol total e do LDL. Tal acontece porque, em quantidades elevadas no sangue, o colesterol LDL acumula-se nas paredes das artérias causando obstrução, fenómeno conhecido como aterosclerose.

 

O tratamento inicial para a hipercolesterolemia (valores elevados de colesterol) é adotar uma dieta equilibrada e realizar exercício físico regular. No entanto, nem sempre estas mudanças de estilo de vida são suficientes e pode ser necessário iniciar medicação.

Hipercolesterolemia: quando tratar?

Os níveis ideias de colesterol variam de pessoa para pessoa e a principal implicação é o impacto no risco cardiovascular. Este risco engloba, ainda, fatores como a idade e a existência de outras doenças (como, por exemplo, a diabetes).

 

Ou seja, os valores-alvo de colesterol podem variar consoante o perfil da pessoa. Vejamos diferentes perfis de indivíduos:

 

  • Baixo risco cardiovascular, o colesterol LDL deve estar <116 mg/dL;
  • Moderado risco cardiovascular, o colesterol LDL deve estar <100 mg/dL;
  • Alto risco cardiovascular o colesterol LDL deve estar <70 mg/dL;
  • Muito alto risco cardiovascular o colesterol LDL deve estar <55 mg/dL.

 

O seu médico assistente, baseado no seu risco cardiovascular, definirá consigo qual o valor-alvo de colesterol LDL. Como referido anteriormente, se uma dieta equilibrada e atividade física regular não forem suficientes para baixar o colesterol, poderá será necessário começar medicação.

Tratamentos para baixar o colesterol

O tratamento para a hipercolesterolemia é sempre iniciado com indicação do seu médico assistente. Além disso, qualquer efeito secundário deve ser comunicado ao seu médico de maneira a ser encontrada uma solução. Para manter os seus níveis de colesterol no sangue saudáveis, quer faça, ou não, medicação, uma dieta pobre em gorduras e atividade física regular são fundamentais.

 

Estatinas

 

As estatinas são uma classe de medicamentos que inibem a síntese de colesterol no fígado e reduzem os níveis de colesterol LDL no sangue. A dose e a estatina escolhida dependem do nível de colesterol e do quanto necessitamos de o baixar.

 

Ezetimiba

 

O mecanismo de atuação da ezetimiba consiste em evitar que o colesterol seja absorvido no intestino para a corrente sanguínea. A ezetimiba representa, muitas vezes, uma alternativa quando as estatinas não são toleradas. Também pode ser adicionado ao tratamento prévio com estatina, para potenciar a sua ação.

 

Sequestradores de ácidos biliares

 

São resinas usadas para reduzir o colesterol e a sua ação no organismo passa por diminuir a reabsorção dos ácidos biliares e, desta forma, reduzir indiretamente os níveis de colesterol LDL da corrente sanguínea.

 

Inibidores da PCSK9

 

A PCSK9 é uma proteína envolvida no metabolismo do colesterol. Assim sendo, estes medicamentos promovem a inibição desta proteína, resultando numa redução dos níveis de LDL no sangue.

 

Uma vez mais reforçamos que a estratégia de tratamento de cada doente é única e pode somente ser determinada pela equipa médica assistente. Além disso, deverá ter sempre como primeiro passo um estilo de vida saudável, com uma alimentação equilibrada e exercício físico regular.

artigo

210.

Dicas sobre como baixar o colesterol

E, por fim, junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Referências
  • Dynamed

  • European Society of Cardiology (ESC) e European Atherosclerosis Society (EAS)

artigo
imprimir
anterior seguinte