Pub
Pub
artigo
imprimir

Consumir probióticos na diabetes?

O consumo de probióticos está cada vez mais em voga, pelos benefícios que mostra na saúde. Será que existe alguma vantagem do seu uso na diabetes? Vamos descobrir.

Cada vez mais se estuda o papel dos probióticos (e dos prebióticos) na saúde. Sabe-se que ajudam a prevenir doenças e há estudos que revelam que podem ter benefícios na diabetes.

Probióticos e prebióticos: o que são?

Quando pensamos em micoorganismos como bactérias, associamos a problemas e doenças. No entanto, o nosso organismo acomoda inúmeras bactérias, sobretudo, no intestino, que são boas para a saúde. A essa população de bactérias que vivem no intestino chama-se «microbiota intestinal» ou «flora intestinal». Para além de fundamental no processo de digestão dos alimentos, a microbiota intestinal participa ainda na estrutura do intestino e no combate às infeções.

 

Probióticos

 

Os probióticos são conjuntos de bactérias que, quando consumidas, se juntam à flora intestinal existente. São igualmente bactérias «boas», com vários benefícios para a saúde. Entre os benefícios mais conhecidos, destacamos, por exemplo, que ajudam a:

 

  • Regular a flora intestinal;
  • Prevenir e controlar a diarreia;
  • Potenciar o sistema imunitário.
artigo

478.

A importância da flora intestinal na diabetes

Prebióticos

 

Os prebióticos são partes de alimentos que não se digerem, nomeadamente certos tipos de fibras, que funcionam como «combustível» para os probióticos. Estão presentes em alimentos como, por exemplo, banana, cebola, alho, legumes, etc. Ou seja, ao ingerirmos alimentos com prebióticos, estamos a dar mantimentos aos probióticos e à flora intestinal para proliferarem.

E na diabetes: há evidência?

Atualmente existe uma curiosidade crescente relativamente ao uso de probióticos, muito pelos ganhos que parecem ter para a saúde. E a diabetes é uma das doenças que parecem beneficiar deste consumo.

 

O seu uso é bastante promissor na diabetes, principalmente porque favorece o controlo glicémico, isto, a manutenção de níveis adequados de açúcar no sangue. A proliferação de colónias de bactérias intestinais da família Lactobaciillus sp, Bifidobacterium sp e Provottela sp, potenciada por alguns probióticos, promove uma microbiota «amiga» da diabetes. E o uso de probióticos, ao manter uma flora intestinal saudável, tem ações anti-inflamatórias e aumenta da sensibilidade à insulina.

 

Um estudo em particular revelou que o uso de probióticos em adultos com diabetes tipo 2 melhorou os valores de hemoglobina glicada. Além disso, melhorou ainda os níveis de colesterol, tensão arterial e inflamação.

 

Por fim, conclui-se que são precisos mais estudos para fortalecer esta relação. Ainda assim, sabemos que o uso de probióticos revela várias vantagens na diabetes e no controlo de outros fatores de risco cardiovascular.

 

Por fim, junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Referências
  • Tiderencel KA, et al., 2019.

  • Kesika P, et al., 2019.

  • Sociedade Brasileira de Diabetes.

artigo
imprimir
anterior seguinte