Pub
Pub
artigo
imprimir

Lidar com dias de doença nos adultos

Qualquer doença pode desequilibrar a diabetes. Saiba como atuar.

Em qualquer situação de doença as pessoas com diabetes podem ter risco de hiperglicemia (aumento de açúcar no sangue), hipoglicemia (diminuição de açúcar no sangue) ou desidratação (perda de líquidos).

 

As doenças acompanhadas de febre aumentam as necessidades de insulina. Mesmo quando há falta de apetite ou dificuldade de alimentação por dor de garganta, obstrução nasal ou tosse, as glicemias tendem a manter-se elevadas (hiperglicemia) com possibilidade de aparecerem também corpos cetónicos (situação mais frequente na diabetes tipo 1).

 

Quando há vómitos e diarreia (gastroenterite aguda), geralmente as necessidades de insulina são menores, a glicemia tende a baixar, com risco de hipoglicemia. Neste caso, e no caso de fazer insulina, pode ser necessário reduzir a dose de insulina.

Cuidados a ter nos dias de doença

É importante ter em conta alguns cuidados fundamentais:

 

  • Manter a medicação habitual (insulina ou comprimidos).

 

  • No caso de fazer insulina, se necessário, aumente a dose da insulina basal e faça reforços de insulina de ação rápida, de acordo com a glicemia e corpos cetónicos, em função das recomendações da sua equipa de saúde.

 

  • Pesquisar a glicemia com mais frequência (de 2 em 2 horas).

 

  • Pesquisar os corpos cetónicos sempre que os valores de glicemia sejam superiores a 180 mg/dL (no caso de ter indicação médica para tal)

 

  • Mantenha a alimentação recomendada. Se não conseguir ingerir alimentos sólidos, opte por alimentos mais fáceis de ingerir como sopas, fruta, sumos, leite, iogurtes, papas ou mesmo líquidos açucarados. No caso de ter corpos cetónicos evite as gorduras.

 

  • Aumente a ingestão de líquidos, em pequenas quantidades e repetidamente, principalmente quando há febre e/ou diarreia.

 

  • Na presença de diarreia e vómitos, se a glicemia estiver abaixo de 160 mg/dL devem utilizar-se líquidos açucarados.

 

  • Faça o tratamento específico para a situação de doença, com a medicação indicada pelo médico.

 

  • Não faça exercício físico enquanto estiver doente.

 

  • No caso de não conseguir alimentar-se, ter temperatura elevada persistente, náuseas, vómitos ou diarreia que não consiga controlar, recorra aos serviços de saúde.

Sinais de alerta para maior vigilância da diabetes

  • Febre;
  • Dores musculares;
  • Dores de garganta;
  • Tosse persistente com expetoração esverdeada;
  • Vómitos ou diarreia;
  • Urinar «às pinguinhas» e com ardor;
  • Feridas infetadas.

 

Nestas situações, se os sintomas persistirem, contacte o seu médico assistente.

artigo

292.

O que significa ter glicose na urina?

Por fim, junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Fontes

Referências

  • Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP)
artigo
imprimir
anterior seguinte