Pub
Pub
video
imprimir

Quem está em risco de diabetes tipo 2?

Há fatores de risco que nos dizem se uma pessoa tem ou não um maior risco de ter diabetes tipo 2. Fomos até à rua saber o que acham os portugueses e, hoje, damos-lhe a conhecer quem são essas pessoas.

A diabetes tipo 2 é uma doença muito associada ao estilo de vida e à presença de determinadas características que fazem com que uma pessoa possa ter um risco maior de a ter, do que outras pessoas. O risco depende de uma combinação de fatores que pode ser tanto genética como ter por base os comportamentos no dia a dia. E se é verdade que não podemos fazer nada quanto aos fatores genéticos, existem muitos outros que podem ser prevenidos com as suas escolhas.

Quem está em risco de diabetes tipo 2

Os fatores de risco não modificáveis

 

– Historial de diabetes na família.

 

Ter casos da doença na família pode significar que existe uma componente genética hereditária. Não é certo venha a ter a doença apenas porque há quem a tenha na família, mas vale a pena estar alerta porque pode ter uma predisposição para a desenvolver. De acordo com o Diabetes UK, uma pessoa tem 6 vezes maior risco de diabetes tipo 2 se tiver um parente próximo com a doença.

 

– Pessoas mais velhas

 

À medida que a idade avança, também o risco de vir a desenvolver diabetes tipo 2 aumenta. Porque, infelizmente, a ciência não é capaz de travar o curso do tempo, este é mais um fator de risco que não é possível contrariar.

 

– Sul-asiáticos, afrodescendentes ou afro-caribenhos

 

Estas são algumas das etnias que parecem ter um maior risco de diabetes tipo 2, pelo que devem manter uma atenção redobrada.

 

– Síndrome do ovário poliquístico

 

Na síndrome do ovário poliquístico, ao invés de os ovários criarem folículos que dão origem a óculos prontos para a fertilização, os folículos formam pequenos quistos. Esta síndrome está associada à insulinorresistência e, por isso, a uma maior risco de ter diabetes.

video

120.

Quem está em risco de diabetes tipo 2?

Os fatores de risco modificáveis

 

Alimentação pouco saudável

 

Escolhas pouco saudáveis na hora da refeição são um importante fator de risco para a diabetes. E revertê-las é, também, uma das formas de prevenir a insulinorresistência que desencadeia a diabetes tipo 2.

 

– Excesso de peso ou obesidade

 

Sabe-se que ter um peso pouco saudável faz com que o organismo ganhe resistência à insulina e não seja capaz de a utilizar como deveria. Por isso, e se o risco de ter diabetes é uma preocupação para si, garanta que mantém um peso saudável para manter a doença longe. Este risco aumenta se o peso se concentrar no perímetro abdominal.

 

– Hipertensão arterial

 

A probabilidade de ter diabetes tipo 2 aumenta se tiver hipertensão. Por isso, caso tenha a doença, é importante manter os valores de tensão arterial controlados, quer seja através da medicação prescrita pelo seu médico, quer seja através de comportamentos preventivos específicos para a hipertensão.

 

– Sedentarismo

 

Manter um estilo de vida pouco ativo e deixar o exercício de lado pode fazer com que tenha maior probabilidade de ter a doença. Sobretudo se associado aos maus hábitos alimentares e ao excesso de peso. Isto porque o exercício físico promove a utilização da insulina pelo organismo e contraria a resistência à insulina. Se não faz exercício físico, esses mecanismos benéficos estão também inativos.

 

– Tabagismo

 

Fumar está associado com um maior risco de vir a ter diabetes tipo 2, além de influenciar o risco cardiovascular e de outras doenças.

 

– Consumo de bebidas alcoólicas

 

Pensa-se que o consumo de álcool em excesso poderá estar associado a um maior risco de ter diabetes tipo 2. Por outro lado, o consumo moderado parece estar associado a um risco mais baixo de vir a ter este tipo de diabetes.

artigo

101.

Porque o consumo de álcool provoca hipoglicemia

– Ter tido diabetes gestacional

 

A diabetes gestacional ocorre quando uma mulher desenvolve diabetes durante a gravidez. Normalmente este tipo de diabetes desaparece com o parto. Contudo, as mulheres que tiveram diabetes gestacional têm um risco mais elevado de vir a ter diabetes tipo 2 e devem regularmente analisar os seus valores de glicemia.

 

– Valores de colesterol anormais

 

Ter valores elevados de colesterol LDL e baixos valores de colesterol HDL parecem aumentar o risco de vir a ter diabetes tipo 2, bem como aumentam o risco cardiovascular.

 

– Pré-diabetes

 

Ter pré-diabetes ou hiperglicemia intermédia significa que os valores de glicemia estão elevados, mas não tão elevados que possa ser considerado diabetes. É possível reverter a pré-diabetes, mas, uma vez tendo é um sinal de que está em risco de ter diabetes e deve focar-se na prevenção da doença.

 

Referências
  • Diabetes UK

  • International Diabetes Federation (IDF)

  • American Heart Association (AHA)

  • National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases US (NIH).

video
imprimir
anterior seguinte