Pub
Pub
artigo
imprimir

A dieta vegetariana e a diabetes

Muito se tem escrito sobre a alimentação e a diabetes. São cada vez mais as opções de dieta disponíveis e, entre elas, o vegetarianismo veio para ficar na nossa sociedade. Saiba um pouco mais sobre este tipo de dieta e a diabetes.

São cada vez mais as opções de dieta disponíveis. Além disso, em alguns casos, mais do que falar em simples opções alimentares, falamos numa opção de estilo de vida, numa cultura. Hoje vamos falar na dieta vegetariana e no que sabemos sobre esta opção para a diabetes.

A dieta vegetariana

A Sociedade Vegetariana de Portugal tem mais de 100 anos: foi criada em 1908 na cidade do Porto pelo Dr. Amilcar de Sousa. Mesmo assim, o vegetarianismo, estilo alimentar e filosofia de vida baseada em valores ecologistas e de defesa dos animais, tem ganho uma difusão alargada nas últimas décadas. De acordo com a revista Forbes, atualmente cerca de 10% da população mundial segue alguma forma de dieta vegetariana. Essa estatística sobe até 26% da população entre a geração dos millenials (jovens adultos entre os 22 e os 38 anos).

Tipos de dieta vegetariana

 

Podemos distinguir 2 tipos de dietas baseadas no consumo de produtos de origem vegetal. A dieta vegetariana clássica prevê o consumo de qualquer produto vegetal e exclui o consumo de carne (mais aceita produtos de origem animal tais como ovos, leites e queijos). A dieta vegana é mais restrita e exclui qualquer tipo de produto de origem animal. Existem, depois, opções mais flexíveis como, por exemplo, a dieta pescetariana (sem o consumo de carne, mas sim de peixe) e a dieta flexitariana, que se propõe a reduzir o consumo de carne, sem o excluir completamente.

artigo

283.

Dieta para diabéticos? Conheça as tendências na moda

Saiba quais os benefícios

Muitos são os benefícios de saúde reconhecidos às dietas baseadas em alimentos de origem vegetal, sobretudo, quando feitas sob supervisão de um nutricionista. Vários estudos comprovam que há níveis reduzidos de massa corporal e de colesterol em vegetarianos e veganos em comparação com pessoas que fazem uma dieta omnívora. E uma das razões poderá estar no teor de gordura saturada presente na carne.

 

Além disso, as dietas baseadas no consumo de produtos de origem vegetal parecem ser particularmente benéficas para quem vive com diabetes tipo 2. Por um lado, podem ajudar a reduzir o risco cardiovascular, que é uma das principais causas de mortalidade e morbilidade. Além disso, a dieta vegetariana pode ajudar no controlo do peso e mesmo a prevenir a diabetes. Mas os benefícios vão mais além: a dieta vegetariana parece favorecer a ação do pâncreas, responsável por produzir a insulina. Ainda para mais, a fibra presente nos alimentos de origem vegetal permite que sejam digeridos de forma mais lenta, ajudando a controlar os níveis de açúcar.

 

E, claro, os riscos

 

Contudo, existem questões às quais é preciso prestar atenção. Em primeiro lugar, as restrições alimentares (como no caso do veganismo) podem aumentar o risco de anemia ou de deficiência de cálcio, vitaminas e minerais. Além disso, é preciso evitar o consumo excessivo de alimentos processados que têm como objetivo imitar a carne. São exemplos os presuntos, fiambres e hambérgueres veganos.

 

Por fim, lembre-se de que os bolos, massas e pizzas devem ser uma parte reduzida de qualquer dieta, mas, sobretudo, das dietas que em vive com diabetes. Numa dieta baseada em produtos de origem vegetal, os alimentos vegetais e naturais devem ser a porção principal do consumo calórico total, sendo complementados por um consumo inferior de produtos processados ou de origem animal. E, sempre que possível, é essencial ter a orientação de um nutricionista para evitar deficiências de vitaminas e minerais.

 

Por fim, e seja qual for a sua opção: se ainda não o fez, tente reduzir o seu consumo de carne, adicionando uma ou outra refeição à base de vegetais fáceis ao seu plano da semana!

 

artigo
imprimir
anterior seguinte