Pub
Pub
artigo
imprimir

Cancro do pâncreas e diabetes: qual a associação?

Será que existe uma ligação entre o cancro do pâncreas e a diabetes? Fique a saber o que a ciência nos ensinou até aos dias de hoje.

O que sabemos sobre o cancro do pâncreas e a diabetes? A diabetes tem sido investigada como um possível fator de risco para o desenvolvimento deste tipo de cancro, mas também como uma potencial consequência.

 

Mas comecemos por conhecer alguns números sobre esta doença oncológica. Os últimos dados da International Agency for Research on Cancer, uma agência especializada da Organização Mundial de Saúde (OMS), estimou que em 2018 foram diagnosticados 458 918 novos casos de cancro do pâncreas.

 

Entretanto,nesse mesmo ano, em Portugal, registaram-se 1619 novos diagnósticos, sendo que o cancro do pâncreas foi a 6.ª causa de morte por doença oncológica (1594 mortes) no país.

O que é o cancro do pâncreas?

O pâncreas é uma glândula de grandes dimensões, situada na parte superior do abdómen que pertence ao sistema digestivo e que, entre outras funções, é responsável, por exemplo, pela produção e libertação de insulina.

 

O cancro do pâncreas é um tipo de cancro que tem início quando as células deste órgão crescem de forma anormal e descontrolada. Infelizmente, no cancro do pâncreas, como, aliás, sucede com muitos tipos de cancro, os sintomas só se tornam óbvios quando a doença já está num estádio mais avançado.

video

07.

À descoberta dos sintomas da diabetes

Os principais sintomas associados são:

 

  • Icterícia (olhos e pele com tom amarelado devido à acumulação de uma substância chamada de bilirrubina);
  • Dor na parte superior do abdómen ou dor de costas;
  • Perda de peso sem razão aparente;
  • Náuseas e vómitos;
  • Alterações intestinais;
  • Aumento do volume da vesícula biliar ou do fígado.

Qual é a relação entre o cancro do pâncreas e diabetes?

O cancro do pâncreas é mais frequente em pessoas com diabetes. Diversos estudos demonstraram uma associação entre as duas doenças. No entanto, não é claro qual dos 2 fatores, se o surgimento de diabetes ou o desenvolvimento de cancro, tem uma maior influência sobre o outro.

 

Sugere-se que uma das principais razões para que a diabetes possa levar ao desenvolvimento de cancro do pâncreas seja o aumento da pressão sobre o pâncreas para libertar insulina, como consequência de níveis constantemente elevados de açúcar na circulação sanguínea.

 

Por outro lado, o aumento da produção de insulina pelo pâncreas devido à presença de cancro, pode conduzir a uma resistência à insulina. Ou seja, as células deixem de responder a esta hormona e, como consequência, a glicose deixa de ser retirada da circulação.

 

Assim, como os níveis de açúcar no sangue permanecem altos, o pâncreas continua a ser estimulado a produzir mais insulina, que a longo prazo reduz capacidade de este órgão produzir a hormona. Desta forma, há um aumento do risco de diabetes. Outra situação associada que leva ao aparecimento da diabetes é, igualmente, a remoção do pâncreas como parte do tratamento para o cancro, fazendo com que o organismo fique sem o seu órgão produtor de insulina.

 

Mas, para além da diabetes, que outros fatores podem aumentar o risco de cancro do pâncreas?

 

Alguns dos fatores que podem aumentar o risco de cancro do pâncreas são, por exemplo:

 

  • Fumar (principal fator de risco);
  • Excesso de peso;
  • Inflamação crónica do pâncreas (pancreatite);
  • Idade (pessoas entre os 50 e 80 anos);
  • Sexo masculino (os homens têm uma maior probabilidade de ter cancro do pâncreas);
  • Casos na família de cancro do pâncreas.

 

No entanto, em caso de qualquer dúvida, não deixe de dialogar com a sua equipa de saúde para esclarecer todas as questões.

artigo

112.

Peso saudável: IMC e diabetes

Fontes

Referências

  • Globocan, 2018
  • Diabetes UK
  • Pancreatic Cancer Action Network
  • American Cancer Association
  • National Health System UK (NHS)
artigo
imprimir
anterior seguinte