Pub
Pub
artigo
imprimir

O que é a hiperglicemia neonatal?

A hiperglicemia neonatal é uma das alterações metabólicas mais comuns nos recém-nascidos prematuros ou submetidos a situações de stresse. Mas como se manifesta e quais são as suas consequências?

A hiperglicemia neonatal é o aumento dos níveis de glicose acima de 125mg/dL no sangue dos recém-nascidos até aos 28 dias de vida. É uma condição mais rara do que a hipoglicemia neonatal (ou seja, diminuição dos valores de açúcar no sangue), mas à qual devemos também estar atentos, pois quando os valores de glicose são muito elevados pode ser necessário intervir.

 

Então, mas porque nascem estes bebés com hiperglicemia?

Quais as principais causas da hiperglicemia neonatal?

Existem diversas causas responsáveis, sendo as principais:

 

Recém-nascidos prematuros ou com baixo peso

 

A hiperglicemia neonatal é mais frequente nos bebés prematuros, principalmente nos grandes prematuros (bebés nascidos antes das 32 semanas de gestação). Isto deve-se ao facto de poder haver uma resposta inadequada da insulina (hormona responsável pela redução da glicose), mas também pelo facto de estes bebés necessitarem de soros com glicose para ajudar na sua nutrição.

 

Doença grave ou resposta ao stresse

 

Bebés com doença grave ou expostos a situações de stresse, como convulsões, hemorragia intracraniana, cirurgias, ventilação com oxigénio, dor ou sepsis (uma resposta exagerada do corpo a uma infeção) podem também desenvolver hiperglicemia neonatal.

 

artigo

545.

O que é a hipoglicemia neonatal?

 

Fármacos

 

A condição pode ser também provocada pelo uso de medicamentos como os corticoesteróides, digoxina, teofilina, cafeína, entre outros.

 

Diabetes neonatal

 

Quando o bebé nasce com diabetes.

Por quanto tempo é que a hiperglicemia se pode manifestar?

Normalmente é transitória e resolve-se espontaneamente nas primeiras duas semanas, podendo durar até quatro semanas.

A hiperglicemia neonatal leva a uma diabetes futura?

Apesar da diabetes ser uma das causas do problema, é uma doença rara causada por mutações genéticas. A diabetes neonatal pode ser transitória, no entanto em alguns casos torna-se permanente, dando origem a uma diabetes futura.

Quais as consequências da hiperglicemia neonatal?

As consequências da hiperglicemia neonatal ainda não são muito bem compreendidas. Assim, as principais consequências são a desidratação, perda de peso, desequilíbrio eletrolítico, retinopatia da prematuridade (alterações dos vasos sanguíneos dos olhos), alterações no cérebro e aumento da mortalidade neonatal.

 

Em conclusão, a hiperglicemia neonatal tem várias etiologias e é mais provável quanto menor for a idade gestacional do bebé. É uma alteração normalmente transitória, no entanto existem algumas complicações associadas, pelo que por vezes pode ser necessário intervenção médica para evitar consequências futuras.

 

Junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Referências
  • Sociedade Portuguesa da Neonatologia

  • NHS Greater Glasgow and Clyde

  • Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago

artigo
imprimir
anterior seguinte