Pub
Pub
artigo
imprimir

O que são as doenças cardiovasculares?

Muito se ouve falar sobre a diabetes e as doenças cardiovasculares. Hoje vamos falar sobre o que são, afinal, essas doenças cardiovasculares.

Patrocinado por

Antes de falarmos das doenças cardiovasculares, é importante definirmos o que é o sistema cardiovascular. Também conhecido como sistema circulatório, é composto pelo coração e pelos vasos sanguíneos. As suas funções incluem transportar oxigénio, nutrientes, hormonas e anticorpos para os vários tecidos do corpo. Da mesma forma, transportam as toxinas e dióxido de carbono para serem eliminados.

 

A saúde cardiovascular depende de vários fatores relacionados com o estilo de vida. Isto é, para mantermos o nosso coração forte e saudável, devemos cumprir uma alimentação equilibrada, com pouco sal, praticar atividade física regular e evitar comportamentos prejudiciais, como o tabagismo e o consumo excessivo de álcool.

O que são as doenças cardiovasculares?

Em primeiro lugar, saiba que tal como o nome indica, as doenças cardiovasculares são doenças que afetam o sistema cardiovascular. São a principal causa de morte ao nível mundial. Uma grande parte destas doenças são provocadas pela aterosclerose. Ou seja, pelo processo que leva à deposição de gordura nas artérias. Devido à aterosclerose, a tensão dos vasos aumenta, ocorremndo obstrução ou entupimento das mesmas e o sangue é impedido de passar. Entre as doenças cardiovasculares, é importante destacar:

 

Doença arterial coronária

 

As artérias do coração chamam-se artérias coronárias. O músculo cardíaco precisa constantemente de oxigénio e nutrientes. Ou seja, quando estas artérias são afetadas, ocorre uma diminuição do fluxo de sangue ao coração, que pode originar angina de peito ou, nos casos mais graves, enfarte agudo do miocárdio (vulgarmente conhecido como «ataque cardíaco»).

 

A angina de peito é uma dor no peito que acontece porque, durante o esforço, o coração precisa de trabalhar mais e, com as artérias obstruídas, não consegue «corresponder». É uma situação normalmente transitória que melhora com o repouso. Por outro lado, no enfarte agudo do miocárdio a obstrução do fluxo sanguíneo é grave o suficiente para causar a morte de células no músculo cardíaco.

 

Doença cerebrovascular

 

Neste caso, as artérias afetadas são as artérias que suprem o cérebro. A principal consequência é o acidente vascular cerebral (AVC). O AVC pode ser isquémico, o que significa que ocorre a oclusão total de uma artéria, causando a morte celular de uma determinada parte do cérebro; ou hemorrágico, quando uma artéria rompe, extravasa e ocorre hemorragia. Os sintomas vão depender da parte do cérebro afetada, mas os mais comuns são, por exemplo, a perda de força de um lado do corpo, desvio da cara ou dificuldade em falar.

 

Doença vascular periférica

 

Significa que as artérias das extremidades são afetadas, mais frequentemente as extremidades inferiores. A doença vascular periférica pode apresentar-se sem sintomas, com claudicação intermitente, dor ou, numa fase mais avançada, úlceras.

 

Insuficiência cardíaca

 

A insuficiência cardíaca é uma doença caracterizada pela incapacidade do coração em bombear o sangue necessário para o resto do corpo. O coração divide-se em cavidade direita e esquerda, cada uma com um ventrículo e uma aurícula. Consoante a cavidade mais afetada, os sintomas podem ser diferentes. Se o ventrículo esquerdo for o mais afetado, os sintomas mais frequentes são falta de ar e cansaço, principalmente durante o esforço. Caso seja o direito o mais afetado, os sintomas podem incluir inchaço nas pernas e cansaço. Sendo o coração uma «máquina» que funciona como um todo, normalmente, os sintomas acabam por sobrepor-se.

 

O que são fatores de risco cardiovasculares?

Chamam-se fatores de risco cardiovascular a todos os comportamentos ou doenças que aumentam o nosso risco cardiovascular. Isto é, todas as situações que contribuam para doença dos vasos e do coração. Entre os fatores de risco cardiovasculares estão, por exemplo:

 

  • Hábitos tabágicos;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Sedentarismo;
  • Excesso de peso ou obesidade;
  • Colesterol ou triglicéridos elevado;
  • Hipertensão arterial;
  • Diabetes.

Dicas para reduzir o risco cardiovascular

Existem vários fatores que aumentam o risco cardiovascular e a boa notícia é que muitos deles são evitáveis. Assim sendo, para diminuir o risco de vir a ter uma doença cardiovascular, devemos:

 

  • Deixar os hábitos tabágicos;
  • Evitar consumir bebidas alcoólicas em excesso;
  • Fazer atividade física regularmente;
  • Manter um peso saudável;
  • Cumprir uma alimentação saudável, por exemplo, sem excesso de sal, gorduras ou hidratos de carbono.

 

Doenças como diabetes, hipertensão arterial e colesterol elevado aumentam o risco de vir a desenvolver doenças cardiovasculares. Assim sendo, é ainda importante que cumpra a terapêutica proposta pelo médico e mantenha os valores de açúcar, tensão arterial e colesterol controlados.

quiz

114.

O que sabe sobre o risco cardiovascular e diabetes?

Por fim, junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Referências
  • Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge

  • Organização Mundial de Saúde (OMS)

  • Dynamed

artigo
imprimir
anterior seguinte