Pub
Pub
artigo
imprimir

Síndrome do ovário poliquístico e o risco de diabetes

Provavelmente já ouviu falar da síndrome do ovário poliquístico, mas sabe o que caracteriza esta doença? E quem sofre desta doença temmesmo maior risco de desenvolver diabetes? Venha saber mais!

A síndrome do ovário poliquístico é uma causa comum de infertilidade feminina. É tratável, mas aumenta a probabilidade de vir a desenvolver outras doenças, nomeadamente diabetes tipo 2.

O que é a síndrome do ovário poliquístico?

A síndrome do ovário poliquístico é uma das causas mais comuns de infertilidade feminina. É frequente o diagnóstico ser feito quando existe a dificuldade em engravidar. Alguns dos sintomas mais característicos são:

 

  • Acne
  • Hirsutismo (aumento de pilosidade)
  • Menstruações irregulares com dificuldade em engravidar
  • Aumento de peso
  • Cabelo fraco ou queda de cabelo

 

Há mulheres que têm todos estes sintomas sendo mais óbvio o diagnóstico, noutras não é tão claro. Para o diagnóstico é comum apoiar-se na existência de 2 destes 3 sintomas:

 

  • Menstruações irregulares ou ausência de menstruação, causado pela falta de ovulação;
  • Níveis elevados de hormonas masculinas – são a causa da maioria dos sintomas da doença;
  • Múltiplos quistos nos ovários – esta alteração isolada não é suficiente para o diagnóstico. Muitas mulheres têm quistos ovarianos e não têm a doença.
artigo

324.

Como saber se tenho diabetes

Mas quais são as causas?

 

As causas exatas não são bem conhecidas. O excesso de peso e a história familiar da doença podem contribuir para o seu aparecimento.

 

Como é feito o diagnóstico?

 

A avaliação dos sinais e sintomas da mulher, a realização de análises de sangue e ecografia ginecológica ajudam a fazer o diagnóstico.

Há uma relação entre a síndrome do ovário poliquístico e a diabetes?

As mulheres com síndrome do ovário poliquístico têm frequentemente resistência a insulina. Ou seja, o organismo produz insulina mas não a utiliza eficazmente. Isto leva a valores de açúcar no sangue mais altos e, como consequência, um maior risco de desenvolver diabetes tipo 2.

 

Assim, as mulheres com síndrome do ovário poliquístio podem vir a desenvolver vários problemas de saúde ao nível cardiovascular, especialmente se tiverem excesso de peso. São exemplos:

 

  • Diabetes – mais de metade das mulheres com síndrome do ovário poliquístico desenvolvem diabetes tipo 2 a partir dos 40 anos.
  • Diabetes Gestacional – diabetes durante a gravidez, que aumenta o risco de complicações na gravidez e aumenta a probabilidade de virem a desenvolver diabetes tipo 2 para a mulher e filho.
  • Doença cardíaca – as mulheres com síndrome do ovário poliquístico têm maior risco, risco esse que aumenta com a idade.
  • Tensão arterial elevada
  • Colesterol elevado
  • Apneia do sono
  • Acidente vascular cerebral (AVC)

 

Como se trata? O tratamento de uma ajuda à outra?

 

O tratamento da síndrome pode variar. Pode ser prescrita medicação para ajudar na ovulação, nomeadamente pílulas anticoncepcionais, bem como outro tipo de medicação para ajudar no acne e queda de cabelo. As alterações no estilo de vida são recomendadas, sobretudo, nas doentes com excesso de peso. Ao reduzir o peso a mulher pode diminuir a sua probabilidade de vir a desenvolver diabetes tipo 2, bem como melhorar os sintomas da síndrome.

 

A síndrome do ovário poliquístico é uma doença complexa que, para além dos sintomas e impacto na fertilidade, pode interferir na saúde cardiovascular e levar a diabetes tipo 2. Nesta doença, como em muitas outras, ter um estilo de vida saudável, com peso dentro da normalidade, pode evitar complicações na sua saúde.

 

Por fim, junte-se à comunidade Diabetes 365º!

artigo
imprimir
anterior seguinte