Pub
Pub
artigo
imprimir

Ansiedade e exercício físico: porque não deve parar

A diabetes beneficia do exercício físico. E pode estar ligada de forma muito direta à ansiedade. Por isso mesmo, ansiedade e exercício físico são dois aspetos da vida dos doentes que há que explorar.

Enquanto que os benefícios físicos para a saúde do exercício são bem conhecidos, os benefícios mentais são-no pouco. No entanto, ansiedade e exercício físico, por exemplo, têm muitos pontos de contacto. E os estudos mostram que a primeira pode beneficiar de sobremaneira do segundo.

 

O exercício físico pode ajudar a prevenir problemas de ansiedade e melhorar sintomas de várias doenças mentais. É, aliás, comum que profissionais de saúde prescrevam exercício como parte integrante do tratamento para a ansiedade.

 

Por isso, ainda que a relação entre ansiedade e exercício físico seja relevante para todos, ela é-a ainda mais nos doentes com diabetes. Afinal, ansiedade e exercício físico são temas que os diabéticos tendem a colocar com frequência no seu vocabulário do dia a dia.

A diabetes e o exercício físico

O exercício é uma forma eficaz de prevenir complicações da diabetes e de controlar os níveis de glicemia (a quantidade de açúcar no sangue). O exercício é benéfico pois vai estimular a produção de insulina e facilitar o seu transporte para as células. Se fizer controlo da glicemia antes e depois da prática de exercício vai facilmente perceber os seus benefícios.

 

Quando faz exercício está ainda a aumentar a utilização de glicose pelos músculos. Logo após, a glicemia tem tendência a baixar.

 

Se for feito com regularidade, o exercício físico também vai contribuir para reduzir a gordura visceral. Dessa forma diminui a insulinorresistência, ou seja, melhora a ação da insulina no organismo.

A diabetes e a ansiedade

 

A ansiedade pode afetar os níveis de açúcar no sangue. Ainda que a investigação não seja ainda clara na forma como isso acontece. Em algumas pessoas, os níveis aumentam, enquanto noutras diminuem.

 

Um estudo do Reino Unido mostra que há relação entre a ansiedade (e outras patologias do foro mental) e a diabetes, especialmente em homens.

Outros estudos mostram, por exemplo, que os doentes com diabetes tipo 1 tendem a ser mais suscetíveis aos efeitos físicos que se manifestam no corpo quando está presente uma determinada dose de stresse.

artigo

124.

Porque é que o stresse aumenta a glicemia?

Benefícios do exercício para a ansiedade

 

A ansiedade e exercício físico podem e devem andar de mãos dadas. Melhorar a condição física é muitas vezes parte integrante de um combate mais eficaz para tratar uma doença. De fato, a diabetes é um exemplo disso.

 

O que sabemos é que:

 

  • A ciência tem providenciado bastante evidência de que pessoas ativas têm menores níveis de ansiedade e depressão do que as pessoas mais sedentárias.

 

  • O exercício pode melhora a saúde mental. Aajuda o cérebro a lidar melhor com situações de stresse.

 

  • Um estudo mostrou que os participantes que faziam exercício vigoroso regular tinham 25 % menos probabilidade de desenvolver depressão e ansiedade nos próximos 5 anos.

 

  • De acordo com alguns estudos, o exercício funciona tão bem como a medicação para reduzir os sintomas associados à ansiedade e à depressão. Sendo que os efeitos podem mesmo ser duradouros. Isto varia de doente para doente.

 

Fale sempre com o seu médico no sentido de perceberem em conjunto qual a melhor fórmula de sucesso para si.

5 tipos de exercício para combater a ansiedade

 

Felizmente, há formas de fazer com que a ansiedade e exercício físico passem a estar na ordem do dia das suas preocupações – sem estarem! Manter uma vida saudável, principalmente com diabetes, é a chave para uma doença controlada. Por isso, aqui vão 5 tipos de exercício que vão manter a sua ansiedade afastada (ou mesmo prevenir o seu aparecimento):

 

1. Ioga

 

O ioga é uma atividade física que se baseia em relaxamento e canalização de energia. As pessoas que sofrem de ansiedade irão beneficiar dos exercícios respiratórios e de foco interior. Vários estudos mostram mesmo que, entre os praticantes, os níveis de ansiedade, e de outros problemas do foro mental, reduziram substancialmente.

 

2. Caminhada

 

Caminhar, principalmente em zonas de campo (ao fim-de-semana, por exemplo) é um bom exercício físico. Além disso, é uma distração de pensamentos negativos que pessoas com a ansiedade costumam ter. É também uma boa forma de desligar dos problemas diários. E, assim, manter os níveis de stresse mais controlados.

 

3. Aulas de dança

 

Fazer exercício deve ter sempre uma componente lúdica. É muito mais fácil fazer-se algo de que se goste. Dançar é, por isso, uma bela forma de aliviar a ansiedade. Seja em casa, seja a frequentar aulas de Zumba. Além do mais, é um exercício que ajudará qualquer pessoa a melhorar o seu estado geral de saúde – físico e mental.

 

4. Musculação

 

Muitas vezes é estereotipada como algo que só pratica quem quer atingir um corpo perfeito. A verdade é que a musculação, por exemplo uma vez por semana, ajuda a combater a ansiedade. Melhora o humor e a autoestima, ajuda a regular o sono e reduz o stresse. Tudo aspetos com impacto direto nos níveis de ansiedade.

 

5. Tai-Chi

 

O tai-chi é uma antiga arte marcial chinesa. Combina meditação e respiração rítmica numa série de movimentos e poses de corpo, coordenados e graciosos. Está provado que o tai-chi ajuda a reduzir o stresse e a ansiedade. Posto que melhora também os estados depressivos.

Referências
  • APDP

  • Anxiety and Depression Society of America (ADAA)

  • Verywell Mind

  • Healthline

artigo
imprimir
anterior seguinte